notas de corte sisu

Glicogenólise

Última atualização em 19 de agosto de 2022

Definição de glicogenólise

A glicogenólise é a quebra do glicogênio da molécula em glicose, um açúcar simples que o corpo usa para produzir energia. O glicogênio é essencialmente energia armazenada na forma de uma longa cadeia de glicose, e a glicogenólise ocorre nas células musculares e hepáticas quando mais energia precisa ser produzida. O oposto da glicogenólise é a glicogênese, que é a formação de glicogênio a partir de moléculas de glicose.

Função da glicogenólise

A glicogenólise divide o glicogênio em glicose. Especificamente, o processo de glicogenólise forma uma molécula de glicose-6-fosfato, deixando a cadeia restante de glicogênio com uma molécula a menos de glicose. Esse processo é repetido muitas vezes, para que várias moléculas de glicose possam ser removidas da cadeia. As moléculas de glicose são removidas via fosforólise, que é a quebra de uma ligação molecular, adicionando ácido fosfórico.

Esta imagem mostra a estrutura do glicogênio. A estrutura central é a proteína glicogenina, enquanto os ramos são cadeias de glicose. Uma única molécula de glicogênio pode conter até 30.000 unidades de glicose ligadas.

A glicogenólise ocorre quando os níveis de trifosfato de adenosina (ATP), a molécula de energia usada nas células, são baixos (e há baixa glicose no sangue). Como a glicogenólise é uma maneira de liberar a glicose e a glicose é usada na formação de ATP, ocorre quando a energia é baixa e é necessária mais energia. Da mesma forma, quando os níveis de ATP são altos, a glicogênese ocorre porque é uma maneira de armazenar energia.

O glicogênio é armazenado nos músculos e no fígado. Estima-se que o glicogênio armazenado no fígado represente cerca de 5 % do peso do fígado, enquanto o glicogênio armazenado nos músculos é responsável por 1-2 % de seu peso. Nos miócitos, que são células musculares, a glicose fornece energia necessária para os movimentos musculares. A glicogenólise em hepatócitos, ou células hepáticas, é ligeiramente diferente. Quando a glicogenólise ocorre no fígado, a glicose produzida não é usada diretamente pelo fígado. Em vez disso, a glicose entra na corrente sanguínea para que possa ser usada por outras células. O glicogênio em animais é semelhante ao amido em plantas; O amido também é uma cadeia de glicose usada para armazenamento de energia nas plantas e pode ser quebrada quando uma planta precisa de energia.

Reguladores da glicogenólise

A glicogenólise é mantida pelos hormônios e, nos miócitos, os sinais neurais também podem desempenhar um papel. Níveis sanguíneos dos hormônios Glucagon e insulina aumentam e diminuem a glicose, respectivamente, o que afeta se ocorre ou não a glicogenólise. A glicogenólise também está envolvida com a resposta de luta ou fuga, que é a resposta instintiva de um animal para lutar ou fugir de um oponente. Em tempos de estresse ou ao enfrentar uma ameaça, a resposta de luta ou fuga é ativada e a epinefrina hormonal (adrenalina) é produzida. A epinefrina estimula a glicogenólise, uma vez que o corpo precisa de energia para lutar ou fugir. Também inibe a glicogênese, pois durante uma resposta de luta ou fuga, o corpo está usando energia em vez de armazená-la. Quando uma resposta de luta ou fuga não está ocorrendo (esses tempos às vezes são chamados de “descanso e digerir”), a glicogênese ocorrerá novamente e a glicogenólise será inibida.

Enzimas envolvidas na glicogenólise

Várias enzimas diferentes estão envolvidas na glicogenólise. As enzimas são proteínas que ajudam as reações químicas. Uma enzima que desempenha um papel na glicogênese é a fosforilase de glicogênio. Ele quebra a ligação que liga a glicose ao glicogênio, substituindo um grupo fosforil, PO32-.

Nesse ponto, a glicose que foi destacada do glicogênio é a glicose-1-fosfato. A enzima fosfoglucomutase a muda para a glicose-6-fosfato, que é a forma que as células usam para fabricar ATP. A enzima de desbranchamento de glicogênio transfere todas as moléculas restantes de glicose, exceto uma em um ramo de glicogênio para outro ramo. Por último, a glucosidase [1 → 6] remove a última molécula de glicose, que se livra desse ramo das moléculas de glicose.

Diferença entre glicogênese e glicogenose

Como afirmado anteriormente, a glicogênese é o oposto da glicogenólise; É quando o glicogênio é formado a partir de glicose. No entanto, também há glicogenose, que tem uma ortografia muito semelhante, mas é um termo totalmente diferente. A glicogenose, mais conhecida como doença de armazenamento de glicogênio (GSD), é um distúrbio genético no qual há um defeito no processo de formação de glicogênio (glicogênese) ou quebra de glicogênio (glicogenólise). Existem 11 tipos diferentes de GSD e aproximadamente 1 em 20.000 a 25.000 pessoas nos Estados Unidos nascem com uma forma de GSD. Alguns tipos são relativamente mais leves que outros. O GSD tipo II é particularmente grave e causa a morte dentro de dois anos após o nascimento. Outros tipos envolvem retardo de crescimento e/ou intolerância ao exercício.

Termos de biologia relacionados

  • Glicose – um açúcar simples que tem um papel importante no metabolismo e na produção de energia.
  • Glicogênio – uma molécula que possui longas cadeias de glicose; A glicose é armazenada na forma de glicogênio.
  • Glicogênese – a formação de glicogênio montando moléculas de glicose; É o oposto da glicogenólise.
  • Trifosfato de adenosina (ATP) – A molécula principal usada para energia nas células.

Questionário

1. Em que tipo de células a glicogenólise ocorre? A. Miócitos B. Hepatócitos C. Ambos D. Nem

Resposta à pergunta nº 1

C está correto. A glicogenólise ocorre em miócitos (células musculares) e hepatócitos (células hepáticas). Nos miócitos, a glicogenólise ocorre para que os músculos tenham mais glicose disponível para disponibilizar ATP, o que fornece energia para o movimento muscular. A glicogenólise ocorre em hepatócitos para que a glicose possa ser liberada na corrente sanguínea, onde pode viajar para outras células.

2. O que é glicogenose? A. A formação de glicogênio a partir da glicose B. A formação de glicose a partir de glicogênio C. Um distúrbio genético D. A proteína encontrada no meio do glicogênio

Resposta à pergunta nº 2

C está correto. A glicogenose também é conhecida como doença de armazenamento de glicogênio, é um distúrbio genético. Existem 11 tipos diferentes e, dependendo do tipo, o corpo não pode produzir ou não pode quebrar o glicogênio. Escolha A refere -se à glicogênese, a opção B refere -se à glicogenólise e a opção D é a glicogenina.

3. O processo de glicogenólise ocorre através da atividade de vários ______. A. Enzimas B. Carboidratos C. Lipídios D. Fatores de transcrição

Resposta à pergunta nº 3

A está correto. Várias enzimas diferentes possibilitam o processo de glicogenólise. Essas enzimas são fosforilase de glicogênio, fosfoglucomutase, enzima de desbranchamento de glicogênio e ɑ [1 → 6] glucosidase.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.