Técnico em Desenvolvimento Comunitário

Técnico em Desenvolvimento Comunitário

Perfil profissional de conclusão

O Técnico em Desenvolvimento Comunitário será habilitado para:

  • Organizar grupos de interesse em comunidades.
  • Promover ações de integração da comunidade e de aproximação positiva.
  • Articular temáticas de cultura, educação, esporte e lazer, meio ambiente, saúde, turismo, trabalho e renda.
  • Identificar potencialidades, necessidades, demandas sociais, riscos e ameaças às condições de vida locais.
  • Ler e interpretar informações geradas a partir dos dados coletados no território e nos aparelhos
  • de serviços públicos e acadêmicos.
  • Elaborar projetos e programas sociais.
  • Desenvolver ações temáticas para o desenvolvimento de lideranças comunitárias.
  • Executar campanhas socioeducativas.

Para atuação como Técnico em Desenvolvimento Comunitário, são fundamentais:

  • Conhecimentos e saberes relativos à articulação de atores sociais, ao fortalecimento da atuação em rede de organizações públicas e privadas.
  • Saberes relativos à valorização de memórias e identidades locais que fortaleçam as expressões culturais comunitárias.
  • Conhecimentos relacionados ao associativismo e à democracia participativa, à governança e à gestão territorial transparente e sustentável, às formas de organização e de incidência política.
  • Conhecimentos e habilidades relacionados ao acesso e ao manejo de informações de interesse local, à elaboração e à execução de projetos e programas comunitários.
  • Capacidade de lidar com imprevistos e construir soluções.
  • Capacidade de administrar conflitos e exercer a conciliação e a liderança.
  • Proatividade, criatividade, resiliência, flexibilidade e capacidade de persuasão.

Carga horária mínima

800 horas. O curso terá duração estimada de 1 ano.

O curso, na modalidade presencial, poderá prever até 20% da sua carga horária total em atividades não presenciais.

O curso poderá ser realizado na modalidade EaD com, no mínimo, 20% de sua carga horária em atividades presenciais, nos termos das normas específicas definidas em cada sistema de ensino.

A instituição, ofertante do curso, poderá desenvolver a carga horária em regime de alternância, com períodos de estudos na escola e outros períodos no campo de atuação/local de trabalho.

Além da carga horária mínima prevista, o curso poderá ter estágio curricular supervisionado obrigatório, a critério da instituição ofertante.

Caso o curso seja ofertado na modalidade EaD, a carga horária de estágio deverá ser cumprida de forma presencial.

Pré-requisitos para ingresso

Para ingresso no curso técnico subsequente, o estudante deverá ter concluído o ensino médio.

Para ingresso no curso técnico concomitante, o estudante deverá estar cursando o ensino médio.

Para ingresso no curso técnico integrado ao ensino médio, o estudante deverá ter concluído o ensino fundamental.

Para ingresso no curso técnico integrado à educação de jovens e adultos, o estudante deverá ter concluído o ensino fundamental.

Legislação profissional

Profissão não regulamentada.

Itinerários formativos

Possibilidades de qualificação profissional com certificações intermediárias, no curso técnico, considerando ocupações previstas na CBO:

  • Agente de Ação Social
  • Agente de Projetos Sociais

Possibilidades de formação continuada em cursos de especialização técnica (pós-técnico):

  • Especialização Técnica em Planejamento de Políticas Públicas
  • Especialização Técnica em Educação Popular

Possibilidades de verticalização para cursos de graduação (Curso Superior de Tecnologia, Bacharelado e Licenciatura):

  • Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública
  • Curso Superior de Tecnologia em Processos Escolares
  • Curso Superior de Tecnologia em Produção Cultural
  • Curso Superior de Tecnologia em Comunicação Assistiva
  • Bacharelado em Ciências Sociais
  • Bacharelado em Gestão de Políticas Públicas
  • Bacharelado em Serviço Social

Campo de atuação

Locais e ambientes de trabalho:

  • Conselhos tutelares
  • Associações comunitárias
  • Conselhos sociais e de políticas públicas
  • Sindicatos
  • Cooperativas
  • Organizações públicas, privadas e do terceiro setor
  • Setor de responsabilidade social e sustentabilidade de empresas

Ocupações CBO associadas

5153-25 – Socioeducador

5153-05 – Educador Social

5153-10 – Agente de Proteção Social Básica

Infraestrutura mínima

Biblioteca com acervo físico ou virtual específico e atualizado

Laboratório de informática com programas específicos para o curso

Nomenclaturas anteriores

Orientação comunitária

Instituições ofertantes

Em breve.


Talvez você esteja interessado:
Novas regras e mudanças para identificação dos participantes do ENEM e Encceja
Novas regras e mudanças para identificação dos participantes do ENEM e Encceja

De acordo com INEP, terão novas regras e mudanças para os participantes do Enem e Encceja se identif…

isenção da taxa do ENEM 2024
Período para isenção da taxa do ENEM 2024 começa em 15 de abril

Atenção estudantes. Se você quiser participar do ENEM 2024 sem pagar a taxa de inscrição, você vai p…

Tipo da modalidade de concorrência sisu
Tipo da modalidade de concorrência pelo SISU

Para você entender melhor as tabelas com notas de corte SISU em nossa category de notas de corte, fa…

Programa Pé-de-Meia
Programa Pé-de-Meia – caixa tem, calendário, valor

O programa Pé-de-Meia é uma iniciativa do governo federal de incentivo financeiro-educacional. Ele é…

Síntese proteica
Síntese proteica – transcrição e tradução do DNA

Este texto seguinte é sobre o tema: Síntese proteica, é bastante importante para a prova do ENEM, e …

CIEE Rio
CIEE Rio – inscrições para programa Jovem aprendiz e Estágios

O mutirão organizado pelo CIEE Rio, trazendo consigo um total de cinco mil oportunidades de estágio …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *