Técnico em Dependência Química

Técnico em Dependência Química

Última atualização em 15 de novembro de 2022

Sumário

Perfil profissional de conclusão

O Técnico em Dependência Química será habilitado para:

  • Compor equipes multiprofissionais em programas, em serviços e em projetos de promoção da saúde relacionados ao uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas, respeitando os preceitos legais relacionados à Política de Inclusão e do Atendimento Educacional Especializado.
  • Participar do planejamento e desenvolvimento de trabalhos de informação e esclarecimento sobre o uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas, mobilizando, de forma articulada, a valorização da vida saudável, do autocuidado e da preservação da integridade biopsicossocial junto à comunidade.
  • Aplicar os dispositivos formais e informais que podem compor a rede intersetorial de atenção às pessoas com problemas relacionados ao uso, abuso e dependência de drogas, e às estratégias para sua articulação.
  • Atuar frente as circunstâncias biopsicossociais, sociológicas e ambientais, características ou comuns ao uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas, aliadas a conhecimentos e habilidades de operacionalização de estratégias e recursos de minimização de circunstâncias estimulantes ou desencadeantes).
  • Atuar na operacionalização e cumprimento do processo terapêutico: reabilitação, recuperação, reinserção social e redução de danos relacionados ao uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas.
  • Coletar, registrar e reunir informações de apoio e suporte ao diagnóstico, em todas as fazes do processo terapêutico, mobilizando, de forma articulada, bases sobre as características dinâmicas dos diferentes problemas relacionados ao uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas, sobre as técnicas e os procedimentos de observação de comportamento, de abordagem e de entrevista recomendados e preconizados para os diferentes casos, assim como habilidades para operacionalizar essas técnicas e esses procedimentos, para registrar e transmitir as informações coletadas de maneira clara e precisa, com domínio de vocabulário técnico científico específico.
  • Intervir em situações emergenciais com base no conhecimento e na interpretação de orientações, prescrições e direcionamentos indicados para diferentes casos, utilizando, de forma hábil e adequada, técnicas e procedimentos de primeiros socorros, além de intervenção e encaminhamento em casos de intoxicação, abstinência e seus desdobramentos.
  • Contribuir no planejamento e na organização de serviços eficientes e eficazes de prevenção, reabilitação e redução de danos relacionados ao uso, abuso de dependência de substâncias psicoativas, mobilizando, de forma articulada, conhecimento crítico-avaliativo de modelos de gestão, convencionais e alternativos, adotados em diferentes iniciativas na área, na perspectiva da utilização racional dos diferentes recursos sociais e do fortalecimento da rede intersetorial local e regional, envolvendo aspectos de natureza estratégica, e programática, de recursos humanos, materiais e de sustentabilidade técnica, financeira e de vigilância sanitária.
  • Realizar programas de prevenção do uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas destinados a famílias, comunidades, escolas e empresas.
  • Atuar frente as estratégias de prevenção e os encaminhamentos adequados para o manejo das comorbidades mais comuns entre pessoas com problemas relacionados ao uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas.

Para a atuação como Técnico em Dependência Química, são fundamentais:

  • Conhecimentos das políticas públicas de saúde e compreensão de sua atuação profissional frente às diretrizes, princípios e estrutura organizacional do Sistema Único de Saúde (SUS).
  • Conhecimento sobre as bases de natureza bioquímica e psicossocial relacionadas à dependência e aos problemas correlatos.
  • Conhecimento sobre princípios, estratégias e recursos de comunicação e sensibilização comunitária, desenvolvendo habilidades para a utilização desses recursos, sempre pautados numa postura humana e ética.
  • Conhecimentos e saberes relacionados à Política de Inclusão e ao Atendimento Educacional Especializado.
  • Resolução de situações-problema, comunicação, trabalho em equipe e interdisciplinar, tecnologias da informação e da comunicação, gestão de conflitos e ética profissional.
  • Organização, responsabilidade, iniciativa social, determinação e criatividade, buscando promover a humanização da assistência.
  • Atualização e aperfeiçoamento profissional por meio da educação continuada.

Carga horária mínima

1200 horas. O curso terá duração estimada de 1 ano e meio.

O curso, na modalidade presencial, poderá prever até 20% da sua carga horária total em atividades não presenciais.

O curso poderá ser realizado na modalidade EaD com, no mínimo, 50% da carga horária em atividades presenciais, nos termos das normas específicas definidas em cada sistema de ensino.

A instituição, ofertante do curso, poderá desenvolver a carga horária em regime de alternância, com períodos de estudos na escola e outros períodos no campo/local de trabalho.

Além da carga horária mínima prevista, o curso poderá ter estágio curricular supervisionado obrigatório, a critério da instituição ofertante.

Caso o curso seja ofertado na modalidade EaD, a carga horária de estágio deverá ser cumprida de forma presencial.

Pré-requisitos para ingresso

Para ingresso no Curso Técnico Subsequente, o estudante deverá ter concluído o Ensino Médio.

Para ingresso no Curso Técnico Concomitante, o estudante deverá estar cursando o Ensino Médio.

Para ingresso no Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio, o estudante deverá ter concluído o Ensino Fundamental.

Para ingresso no Curso Técnico Integrado à Educação de Jovens e Adultos, o estudante deverá ter concluído o Ensino Fundamental.

Legislação profissional

Profissão não regulamentada.

Itinerários formativos

Possibilidades de qualificação profissional com certificações intermediárias, no curso técnico, considerando ocupações previstas na CBO:

  • Monitor em Dependência Química

Possibilidades de formação continuada em cursos de especialização técnica (pós-técnico):

  • Especialização Técnica em Dependência Química
  • Especialização Técnica em Saúde Mental
  • Especialização Técnica em Terapia Comunitária

Possibilidades de verticalização para cursos de graduação (Curso Superior de Tecnologia, bacharelado e licenciatura):

  • Bacharelado em Enfermagem
  • Bacharelado em Psicologia
  • Bacharelado em Saúde Coletiva
  • Bacharelado em Serviço Social
  • Bacharelado em Terapia Ocupacional

Campo de atuação

Locais e ambientes de trabalho:

  • Centro de Atenção Psicossocial (CAPS)
  • Clínicas de Atendimento à Dependência
  • Comunidades Terapêuticas
  • Consultórios na Rua
  • Escolas
  • Grupos de Mútua Ajuda
  • Hospitais Gerais
  • Hospitais Psiquiátricos
  • Organizações da Sociedade Civil
  • Programas de Redução de Danos
  • Sala de Atendimento Particular
  • Serviços de Referência em Saúde Mental
  • Unidades Básicas de Saúde
  • Unidades de Acolhimento Temporário
  • Unidades de Desintoxicação
  • Programas e projetos intersetoriais

Ocupações CBO associadas

5153-15 – Monitor de Dependente Químico

5153-15 – Conselheiro de Dependente Químico

5153-15 – Consultor em Dependência Química

Infraestrutura mínima

Biblioteca com acervo físico ou virtual específico e atualizado

Laboratório de informática com acesso à internet

Laboratório multidisciplinar equipado com boneco de reanimação cardiopulmonar para demonstração de atendimento de emergência

Nomenclaturas anteriores

Reabilitação de dependentes químicos

Instituições ofertantes

Em breve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.