notas de corte sisu

Leopardo da neve

Última atualização em 19 de agosto de 2022

O básico

O leopardo da neve é uma espécie de grande gato nativo das montanhas da Ásia Central. Sua linha de habitat cobre 2 milhões de km2 e se estende a 12 países. Em países de alta latitude, como a Mongólia e a Rússia, os leopardos da neve são encontrados em altitudes de cerca de 1.000 metros acima do nível do mar. No entanto, em países de baixa latitude, como China e Índia, esses gatos são encontrados em altitudes muito mais altas entre 3.000 e 5.400 metros acima do nível do mar.

Os leopardos da neve preferem o terreno acidentado de aflortos rochosos, falésias e ravinas acima da linha das árvores, pois esse habitat oferece vistas claras de presas e boa cobertura enquanto caçam. Nas zonas alpinas e sub-alpinas que esses grandes gatos habitam, o solo é frequentemente coberto com uma espessa camada de neve, no entanto, isso não representa problemas para os leopardos da neve. De fato, esses animais podem viajar facilmente na neve de até 33 polegadas (85 cm) de profundidade, graças às suas grandes patas, que atuam como sapatos de neve e impedem que elas afundem na neve.

Comportamento e ecologia

Os leopardos da neve são animais crepusculares, o que significa que eles são mais ativos ao amanhecer e anoitecer. Esses predadores carnívoros caçam ativamente suas presas, emboscando -as de cima e perseguindo -as por montanhas íngremes por até 300 metros. Os leopardos da neve caçam principalmente ovelhas selvagens e cabras como as ovelhas azuis, ovelha argali e ibex, embora também caçam mamíferos menores, como marmotas, ratazanas e lebres. Os leopardos da neve são caçadores oportunistas e, como resultado, também comerão carniça e às vezes caçam gado. Dado o tamanho grande da presa preferida do leopardo da neve, eles podem sobreviver em um único animal por duas semanas, então apenas caçam animais tão grandes a cada 8 a 10 dias em média.

Os leopardos da neve são animais solitários, embora machos e fêmeas sejam vistos juntos durante a estação de acasalamento, assim como as mães e seus filhotes jovens. Os indivíduos ocupam enormes faixas domésticas de até várias centenas de quilômetros quadrados e patrulham regularmente, marcando seus territórios usando marcas de perfume de urina. Pensa -se que o tamanho do alcance da casa esteja relacionado à disponibilidade de alimentos, com os leopardos da neve em áreas de presas abundantes usando cerdas domésticas menores. Embora os territórios dos homens não se sobreponham frequentemente, eles se sobrepõem aos das mulheres.

Os leopardos da neve tendem a acasalar no final do inverno, o que significa que os filhotes nascem entre abril e junho. As fêmeas dão à luz 2 a 3 filhotes dentro de uma cova rochosa alinhada com derramamento de peles de sua parte inferior. Os filhotes de leopardo da neve são inicialmente cegos, mas abrem os olhos aos 7 dias de idade e são totalmente desmamados por 10 semanas de idade. Os filhotes geralmente deixam a cova quando têm 2 a 4 meses de idade, no entanto, permanecem com a mãe até os 18 a 22 meses de idade. Uma vez que os leopardos da neve deixam suas mães, eles se dispersam por distâncias muito grandes para encontrar novos jardins de caça.

Fatos divertidos sobre leopardos de neve

Os leopardos da neve são únicos entre os grandes gatos por várias razões e, como resultado, demonstram vários conceitos biológicos interessantes.

Sem rugido

O Snow Leopard compartilha o gênero Panthera com outros quatro membros; Leões, tigres, leopardos e Jaguars. Mas, diferentemente desses outros quatro grandes gatos, os leopardos da neve são incapazes de rugir. Anteriormente, pensava -se que a capacidade única desses outros animais de rugir resultou da ossificação incompleta do osso hióide no pescoço. No entanto, os leopardos da neve também compartilham esse recurso, portanto, agora se pensa que o rugido resulta de uma morfologia específica das dobras vocais na laringe, que falta dos leopardos da neve. Em vez de rugir, os leopardos da neve se comunicam usando sons semelhantes aos de outros gatos grandes, como ronronos, assobios e rosnados.

Embora se pensasse originalmente que os leopardos da neve, onde as primeiras espécies a divergirem dentro do gênero Panthera, recentemente foi demonstrado que eles realmente formam um clado irmã com tigres. É provável que esses dois grupos diverjem do restante de Panthera entre 4,62 e 1,82 milhão de anos atrás, antes de divergir entre 3,7 e 2,7 milhões de anos atrás. Dado que os tigres compartilham a capacidade de rugir com os membros restantes do gênero Panthera, mas os leopardos da neve não, talvez isso tenha sido uma característica do ancestral comum de Panthera que desde então foi perdido nos leopardos da neve após sua divergência de tigres.

Adaptações alpinas

Para sobreviver em seu habitat alpino frio, os leopardos da neve evoluíram uma série de adaptações, que eles compartilham com outros animais que vivem em ambientes frios em todo o mundo. Por exemplo, os leopardos da neve têm cabelos compridos com uma densa, com pouca escala e orelhas redondas pequenas e pequenas. Ambas as características ajudam a reduzir a perda de calor do corpo e também são encontradas no urso polar e na raposa do Ártico. Além dessas adaptações comuns, os leopardos da neve também têm caudas grossas até o mesmo comprimento que seu corpo, que podem envolver em volta para manter aquecido, bem como uma cavidade nasal aumentada que permite que o ar frio seja aquecido antes de entrar os pulmões.

Os leopardos da neve também exibem várias adaptações para viver ao lado das montanhas. Por exemplo, eles têm pernas curtas para a frente, que combinadas com suas caudas longas, ajudam -as a manter o equilíbrio em terrenos acidentados. Além disso, eles têm pernas traseiras longas, que ajudam os leopardos da neve a saltar até 10 metros (10 metros) ao mesmo tempo quando caçam. Finalmente, os leopardos da neve são bem campos, graças ao seu pêlo de cor clara, com manchas e rosetas escuras que os ajudam a se misturar com a montanha.

Ápice predador

Os leopardos da neve são predadores Apex, o que significa que eles se sentam no topo da cadeia alimentar e não têm predadores naturais. Os predadores Apex tendem a ser carnívoros grandes e incluem todos os outros membros do gênero Panthera, além de várias espécies de crocodilo, tubarão e águia.

Os predadores Apex têm uma influência importante sobre os ecossistemas, pois são capazes de controlar o tamanho da população de suas presas e de outros predadores. A perda de um predador de ápice devido à caça pelos seres humanos, por exemplo, pode levar a uma cascata trófica na qual os tamanhos populacionais de espécies abaixam dramaticamente a cadeia alimentar. Isso pode ter efeitos profundos nos ecossistemas, alterando a estrutura do ecossistema, a biodiversidade e a ciclagem de nutrientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.