notas de corte sisu

Ceruloplasmina

Última atualização em 19 de agosto de 2022

Definição de ceruloplasmina

A ceruloplasmina é uma enzima produzida no fígado que transporta mais de 95% do cobre no plasma sanguíneo. Sua função é oxidar o ferro ferroso em ferro férrico – uma reação que requer cobre – para permitir o transporte de ferro. O teste de ceruloplasmina, que avalia os níveis de ceruloplasmina no sangue, é empregado para diagnosticar uma doença rara em humanos conhecida como doença de Wilson, que é caracterizada por baixos níveis de ceruloplasmina e níveis muito altos de cobre em vários órgãos, incluindo o fígado e o fígado e o fígado e o fígado e o fígado e o fígado e o fígado e o fígado e o cérebro e por sintomas como náusea, mudanças no comportamento e habilidades motoras, fadiga e amarelecimento da pele e dos olhos.

Teste de ceruloplasmina

O teste de ceruloplasmina é realizado geralmente junto com outros testes de sangue e urina para diagnosticar um distúrbio herdado raro conhecido como doença de Wilson ou degeneração hepatolenticular. Pessoas com essa doença experimentam perda de apetite, anemia, baba, náusea, erupção cutânea ou amarelecimento da pele e olhos, dor abdominal, náusea, tremores, dificuldade em executar certos movimentos e outras mudanças no comportamento. O teste de ceruloplasmina é geralmente solicitado pelo médico juntamente com outros testes de cobre de urina e sangue. A doença de Wilson é normalmente diagnosticada quando os testes mostram baixos níveis de ceruloplasmina no sangue e altos níveis de cobre na urina.

Faixa de referência de ceruloplasmina

O teste de ceruloplasmina é um exame de sangue que determina os níveis de ceruloplasmina no sangue. Como em inúmeras análises clínicas, os níveis de ceruloplasmina no sangue foram bem investigados e uma faixa de referência foi estabelecida para determinar se eles se enquadram em valores normais. Os valores normais, ou faixa de referência, para ceruloplasmina no sangue estão entre 20 e 50 mg/dL.

Baixos níveis de ceruloplasmina

Se o teste de ceruloplasmina revelar níveis abaixo da faixa de referência, é possível que a pessoa sofra da doença de Wilson. Existem outras condições, no entanto, que também diminuem os níveis de ceruloplasmina no sangue, a maioria envolvendo danos ao fígado. Alguns exemplos incluem cirrose (quando o tecido cicatricial substitui tecido saudável no fígado), insuficiência hepática e doenças hepáticas. Além das questões hepáticas, baixos níveis de ceruloplasmina no sangue também podem indicar a presença de síndrome nefrótica, doença de Menkes, aceruloplasminemia ou problemas gastrointestinais. Esse teste, no entanto, geralmente não é usado para diagnosticar esses distúrbios.

Altos níveis de ceruloplasmina

Se o teste de ceruloplasmina revelar níveis acima da faixa de referência, é possível que a pessoa sofra de linfoma (câncer no sistema imunológico), artrite reumatóide, inflamação ou infecção grave. Mulheres e pessoas grávidas e saudáveis que tomam certos medicamentos ou medicamentos hormonais (por exemplo, contraceptivos ou estrogênio) também podem mostrar altos valores ceruloplasmina no sangue.

Função de ceruloplasmina

A ceruloplasmina é uma ferroxidase sérica multi-cobre que precisa de cobre para oxidar o ferro ferroso (Fe2+) em ferro férrico (Fe3+) para ativar o transporte de ferro celular. O ferro ferroso é obtido na superfície celular, é oxidado por ceruloplasmina e é transportado por transferrina, que é um transportador de ferro extracelular que pode transportar ferro apenas em sua forma férrica (Fe3+).

Como a produção de ceruloplasmina depende da disponibilidade de cobre, a deficiência de cobre leva a uma redução na ceruloplasmina circulante, o que, por sua vez, resulta no acúmulo de ferro no fígado e em outros órgãos e tecidos. Consequentemente, o ferro não é entregue às células no corpo quando não há ceruloplasmina suficiente disponível para oxidar o ferro.

Nos últimos anos, a pesquisa apresentou o papel do ferro no desenvolvimento precoce do neurodesenvolvimento e na neurodeegneração. Como a ceruloplasmina está envolvida na homeostase do ferro, múltiplos distúrbios como a doença de Alzheimer, a doença de Parkinson e os distúrbios do desenvolvimento cognitivo precoce têm sido associados a anormalidades na produção de ceruloplasmina, metabolismo e atividade.

Questionário

1. O que os baixos níveis de ceruloplasmina no sangue podem indicar? A. linfoma, artrite reumatóide ou inflamação. B. Doença de Wilson, linfoma ou doença de Alzheimer. C. Artrite reumatóide, infecção grave ou gravidez. D. Doença de Wilson, Doença de Menkes ou Aceruloplasminemia.

Resposta à pergunta nº 1

D está correto. Um teste de ceruloplasmina mostrando que os níveis de ceruloplasmina no sangue estão abaixo da faixa de referência pode indicar a presença da doença de Wilson, doença de Menkes ou aceruloplasminemia.

2. Quais são as consequências da deficiência de cobre? A. Uma redução na ceruloplasmina circulante e o acúmulo de ferro no fígado e em outros órgãos. B. Um aumento na ceruloplasmina circulante e o acúmulo de ferro no fígado e em outros órgãos. C. Uma redução na ceruloplasmina circulante e em ferro no fígado e em outros órgãos. D. Um aumento na ceruloplasmina circulante e uma redução no ferro no fígado e em outros órgãos.

Resposta à pergunta nº 2

A está correto. A deficiência de cobre resulta em uma diminuição da produção de ceruloplasmina e uma consequente redução da ceruloplasmina circulante, o que leva ao acúmulo de ferro no fígado e outros órgãos porque o ferro não é oxidado pela ceruloplasmina, um passo necessário para que o ferro seja transportado para outras partes de o corpo.

Referências

  • Ayton, S., Lei, P., Duce, J.A., Wong, B.X., Sedjahtera, A., Adlard, P.A., Bush, A.I. & Finkelstein, D.I. (2013). Disfunção de ceruloplasmina e potencial terapêutico para doença de Parkinson. Annals of Neurology, 73, 4: 554-9.
  • Hellman, N.E. & Gitlin, J.D. (2002). Metabolismo e função da ceruloplasmina. Revisão Anual da Nutrição, 22, 439-458.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.